sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

VIDEO SURF NA BAIXADA

Este vídeo foi feito a partir de imagens que captamos para produção do vídeo institucional da UNIMAR Agencimentos Marítimos, empresa de Santos. Produção a três mãos: idéia e roteiro: euzinho mesmo, a música by Dri Ribeiro e as imagens e edição feitas pelo mestre Adilson Doro.



PREGUIÇA DE ESCREVER, VONTADE DE IMAGENS

Alguns clicks entre tantos outros do treinamento para gestores da Nestle de Araçatuba.

domingo, 4 de dezembro de 2011

..É VIDA QUE SEGUE

Quando a gente deseja e sabe o que quer, e conversa com seu coração, parece que as portas se abrem, parece que a vida fica mais simples, mais sua...à sexta a noite no Australiano Bar ao lado da Margarida foi agradável, altos papos em uma ambiente alto astral, com gente bonita, e a brisa do mar invadindo o local...mas como é carinho as coisas por lá.


Um dia eu ainda surripío esse cardápio..rsss

No sábado pulei cedo, e em companhia do grande Rodrigo, parceiro do Baixada Surf, www.biaxadasurf..com.br, fomos acompanhar três grandes canoístas na entrada da baia de Santos, o que rendeu altas fotos e me tomou a tarde toda e mais parte da noite editando as fotos, que modéstia a parte, ficaram lindas. Mesmo "mareado" no final, e mesmo tendo tomado um remédio antes de embarcar, não resisti a intempérie marítima e vomitei, mas "vibe" foi tão boa, que não me abalei e continuei fotografando até o final. Foi uma manhã de muita luz e energia positiva. 





O domingo acordei meio indisposto, meio sonolento, apesar de ter dormido bem a noite toda, estava moído e cai no sono cedo no sábado. Acordei com a notícia que perdemos o Dr. Sócrates, triste notícia. Só nos resta rezar que sua alma descanse em paz e que isso não tire o título do Vasco hoje. Não vamos misturar as coisas, apesar que a Globo, a tal fiel, vão insistir nisso...o Dr. não era patrimônio do Corinthians, mas sim de toda a nação brasileira.

Vamos lá, hoje tem: feira, fotos do campeonato mundial de paramotor, final do brasileirão...É A VIDA QUE SEGUE....

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

REGISTRO A VIDA DO JEITO QUE ELA SE MANIFESTA

Eis alguns flagrantes do centro de Santos. A vida de um jeito agressivo, vibrante, suave, simplesmente a vida que passa pela minha lente; com luz, com sol, com vida.












quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Prédio abandonado no Guarujá atrai rapeleiros

No Guarujá, mais precisamente na praia das Astúrias, existe um prédio abandonado que serve de cenário para os adeptos de esportes radicais como rapel e parcur.  A adrenalina já começa logo que os aventureiros chegam ao local, pois o prédio nem é tão abandonado assim. Alguns sem-tetos vivem no local, e é sempre bom ficar “esperto” e estabelecer uma relação de cordialidade com os “donos” do lugar para se aventurar com tranquilidade.

Segundo informações, o prédio teve sua construção embargada pelo ministério público por estar em uma área que oferece riscos ao meio ambiente.


Moldura natural: vista da Praia do Tombo

Mas aventura não se restringe apenas ao rapel em sim. O prédio oferece uma vista de cair o queixo e a partir do quinto ou sexto andar é possível avistar toda a orla de Santos e praticamente todas as praias do Guarujá, desde a praia do Tombo até a Enseada. Mas a tensão fica mesmo para os mais corajosos que se arriscam a subir até o último andar. O local oferece riscos, o vento sempre é muito forte e não é nem um pouco recomendado subir sem os equipamentos de segurança adequados, além de contar com profissional capacitado a tiracolo.

                                                                        Radicalizando

E foi nesse cenário que um grupo de apaixonados por rapel, se reuniu sob a coordenação da equipe da Caiçara Expedições Baixada Santista para a prática do rapel no último dia 23 de outubro. O grupo de oito pessoas explorou ao máximo as condições que o prédio proporciona para esse tipo de esporte. Para começar e garantir a adaptabilidade dos menos experientes, o grupo desceu do segundo andar do edifício para em seguida, arriscar um pouco mais e rapelar do sexto andar.

Estrutura ideal para o rapel vertical
Foto: Margarida Yáñez

Mas ”cereja do bolo” ficou mesmo para o final, quando todos desceram do décimo sexto andar. A via oferece condições mais radicais e exige um pouco mais do rapeleiro, mas a sensação é única e adrenalina vai “milhão”.




Rapeleiros de plantão posam para foto
__________________________
Caiçara Expedições Baixada Santista organiza além de rapel, passeios e outros esportes de aventura na Baixada Santista. Para mais informações visite o site: http://www.caicaraexpedicoes.com/

__________________________
Texto publicado no site http://www.baixadasurf.com.br/home.php


RAPEL NO MORRO DO MALUF


"je tirais vivement par ses bouts la corde qui, on se le rappelle...."


É com essa frase que  Jean Charlet-Stranton, um francês, definiu o rapel, esporte criado por ele em 1879. Em uma tradução livre a frase significa "Quando chegava perto de meus companheiros eu puxava fortemente a corda por uma de suas pontas e assim a trazia de volta para mim...", ou seja, ele chamava a corda de volta ao terminar a escalada e a descida de uma montanha ou pico. 

Para praticar o rapel é preciso coragem, disciplina e cuidados com a segurança. Não é um esporte solitário, muito pelo contrário, é solidário, onde um cuida do outro e o uso de equipamentos de segurança é fundamental para garantir o prazer de praticar esse esporte.


Na Baixada Santista, muitos praticantes procuram o Morro do Maluf, no Guarujá para se aventurar. Além da adrenalina proporcionada pelo esporte, o rapeleiro tem como cenário, o visual da Praia da Enseada para curtir enquanto desce em um paredão de quase 50 metros de altura. Um visual de tirar o fôlego!!



O morro conta com três vias de descida, onde a primeira é a mais tranquila, por ser mais curta, mas não menos emocionante que as outras duas, que são mais verticais e exige do praticante um pouco mais de técnica. Não é necessário nenhum curso para praticar o rapel, basta fazer com equipamentos seguros e seguir as instruções de  profissionais competentes e experientes.


Além do Morro do Maluf, é possível praticar o rapel e um prédio de 17 andares na Praia das Astúrias, nesse caso, um rapel mais hard, mais vertical e com mais adrenalina ainda.

Let’s go rapel??
__________________________
Texto publicado no site http://www.baixadasurf.com.br/home.php

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

COMPARTILHANDO AQUI MINHA COLUNA "O LÚDICO NAS ORGANIZAÇÕES"

O texto abaixo foi publicado na Revista Ludo Brasil Magazine (http://ludobrasilmagazine.blogspot.com/2011/08/ludo-brasil-magazine-edicao-06.html), que compartilho aqui com vocês.... 


O LÚDICO NAS ORGANIZAÇÕES

O lúdico e a Geração Y: Uma combinação perfeita

por Clodoaldo Moreira

Os profissionais de Recursos Humanos costumam dizer que um dos maiores desafios da área é a capacidade de atrair e reter talentos na empresa. Esse obstáculo tornou-se maior ainda de uns anos para cá, a partir da chegada ao mercado de trabalho dos primeiros rebentos da “aterrorizante Geração Y”. Para quem ainda não sabe, a “Geração Y” é a que surgiu logo após a “Geração X”, e fazem parte dela, os nascidos a partir dos anos de 1980, até o início dos anos 1990.
Mas porque os filhos dessa geração são tão aterrorizantes? Simplesmente porque são completamente diferentes em tudo das gerações anteriores.
Essa geração não aceita respostas prontas, encara seu gestor como um colega de trabalho, costuma fazer inúmeras atividades ao mesmo tempo, tem uma grande preocupação com o meio ambiente e diferente da geração anteriores, não sonha em permanecer na empresa em que atua até sua aposentadoria. Resumindo, os jovens dessa geração não hesitam em mudar de emprego se não estiverem satisfeitos onde estão.
Mas não para por ai as características dessa “galera”. Acostumados a conviver com o ambiente virtual, esses jovens tem fortes valores morais, gostam mesmo é de clareza e honestidade nas relações, isso porque, para eles, basta uma rápida consulta no Google e qualquer “fake” pode ser desmascarado. Isso faz todo sentido se considerarmos que esses jovens estão em exposição desde o momento do nascimento, quando tiveram suas fotos divulgadas no site da maternidade onde nasceram, e na adolescência já tinham um perfil no Orkut onde compartilhavam cada momento de sua vida com o mundo.
Mas porque estamos falando da “Geração Y” em nossa coluna sobre o “Lúdico nas Organizações”? Simplesmente porque, diferente das gerações anteriores, essa geração gosta mesmo é de aprender. Acusados de serem superficiais e de não se aprofundarem muito no conhecimento, especialistas indicam justamente o contrário. Essa geração está em busca de novidade o tempo todo, e para satisfazê-la são necessários novos e constantes conhecimentos. Mas não são somente os novos conhecimentos que eles querem, eles gostam mesmo é de aprender se divertindo, de viver se divertindo, priorizam a qualidade de vida, mais do qualquer outra geração. Essa geração não tem pudor nenhum em assumir que quer trabalhar em um ambiente que goste, e que lhes proporcione prazer.
Ao resgatarmos aqui a nossa primeira coluna, dissemos que o lúdico proporciona o diálogo, e entre outras coisas, afirmamos também que o lúdico possibilita o experimento do desconhecido, instigando a imaginação, a criatividade, nos tornando eternos aprendizes e eternamente insatisfeitos.  A partir dessas afirmações podemos concluir que as empresas tem no lúdico uma ferramenta perfeita para se comunicar com essa geração, pois a ludicidade é transparente, respeita o momento de cada um, ajuda no desenvolvimento de competências de maneira divertida a partir do conceito de “ensinagem”, processo do ensino- aprendizado, sustentado pela “Teoria do VER”, onde o desenvolvimento e a mudança de atitudes surgem com o vivenciar, o experimentar e o refletir.
A “Teoria do VER” foi sistematizada por José Ricardo Grillo e Adriana Friedman, ambos  coordenadores do curso de pós graduação em Educação Lúdica do Instituto Superior de Educação da Faculdade Vera Cruz em São Paulo, responsável pela formação de mais de 100 pessoas em três turmas. Jose Ricardo e Adriana também criaram um grupo aberto no Facebook sobre Educação Lúdica com o objetivo de discutir e disseminar o lúdico como metodologia de ensino.
Para atrair e reter esses jovens que nasceram na era da internet, as empresas precisam aprender a se comunicar com eles, e o lúdico está ai pronto para ser usado e abusado em prol desse desafio. Não podemos esquecer que daqui a dez anos ou menos, será essa geração que estará no comando das organizações, portanto, vamos cuidar bem dela.

 Clodoaldo Moreira é jornalista, profissional de Recursos Humanos e um Geração Y por opção.
E-mail: clodoaldo@unoeverso.com.br
_________________________________________________________________________
Dicas Lúdicas:

Música: MEUS VINTE POUCOS ANOS, Perfil, Fábio Jr., Som Livre. Nacional. R$ 32,00.

http://www.youtube.com/watch?v=kau2V2LMYLM


Livro: GERAÇÃO Y - O NASCIMENTO DE UMA NOVA VERSÃO DE LÍDERES;
Sidnei Oliveira,  Editora Integrare, 248 páginas, R$ 30,78

Comidinha:  Arroz Integral no Microondas.

http://dietando.blogspot.com/2010/11/arroz-integral-no-microondas.html


Cinema:  A REDE SOCIAL, (Estados Unidos, 2010) de David Fincher. Columbia Pictures.